Neoenergia investirá R$ 30 bi até 2023, diz presidente da Iberdrola

Energia Virtual

Ignacio Galán destacou que a demanda por eletricidade no Brasil irá crescer 4% ao ano nos próximos anos.
O executivo ressaltou foco do grupo em renováveis, digitalização de redes, transmissão e soluções para consumidores.
Para avanço do setor, Galán diz ser necessário manter regulação previsível e planejamento adequado para dinamizar o processo de licenciamento a fim de acelerar os investimentos

O presidente de Iberdrola, Ignacio Galán, destacou a importância do Brasil para o grupo, os investimentos de longo prazo no país e a expectativa positiva em relação ao crescimento do mercado de energia, em seu discurso durante painel no Fórum de Investimentos Brasil 2019, no dia 11 de outubro, em São Paulo.

Diante das oportunidades do país, a Iberdrola, por meio de sua controlada Neoenergia, prevê investimentos de R$ 30 bilhões no país até 2023 em projetos de geração, transmissão e distribuição de energia.

“A Iberdrola e a Neoenergia ratificam o seu compromisso com o crescimento do país, ao promover continuamente investimentos e desenvolvendo talentos locais, com a formação de seus funcionários. Dessa forma, geramos uma força impulsionadora da atividade econômica nas regiões onde atuamos, com benefício a nossos clientes e toda a sociedade”, ressaltou Ignacio Galán.

O executivo estimou que a demanda por eletricidade aumentará 4% ao ano nos próximos cinco a dez anos, segundo dados oficiais, em razão do desenvolvimento econômico e social e da eletrificação com o avanço da economia digital.

“O investimento no setor de energia e, em particular, na eletricidade, é um dos principais motores de crescimento do Brasil na próxima década”, afirmou Galán, a uma plateia de executivos e autoridades.

Para que a expansão do setor se torne uma realidade, diz, é necessário, porém, que a regulação se mantenha previsível e que o planejamento seja adequado. “O Brasil possui estruturas sólidas, mas requer processos mais dinâmicos de licenciamento para a antecipação dos investimentos”, afirmou o presidente da Iberdrola.

O executivo disse ainda que a liberalização do mercado constitui “uma oportunidade adicional” para o Brasil. “Mas será muito relevante permitir que os diferentes agentes acessem os clientes finais para aumentar a gama de produtos e serviços disponíveis”, ressaltou o presidente da Iberdrola, em sua fala.

Ignacio Galán destacou também a importância do Brasil na estratégia global do grupo e o sucesso da Neoenergia, que neste ano realizou seu IPO – o maior do setor desde 2004. A Iberdrola atua há 22 anos no Brasil.

Renováveis

O presidente da Iberdrola destacou o avanço do grupo para focar sua atuação em fontes renováveis, armazenamento, redes digitais e soluções para os consumidores, com investimentos sempre em consonância com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da ONU. “Demonstramos que é possível combinar rentabilidade com respeito e promoção do desenvolvimento sustentável”, afirmou Galán.

De acordo com Galán, as energias eólica e solar estão se expandindo fortemente, impulsionadas pelos recursos abundantes no Brasil, o que abre espaço para o armazenamento e a geração térmica.

“A instalação de mais fontes renováveis exigirá o aumento da capacidade de armazenamento e fontes de backup. Baterias e usinas a gás serão necessárias. para evitar gargalos enfrentados no passado”, disse.

Sobre a Neoenergia

Controlada pelo grupo espanhol Iberdrola, a Neoenergia atua desde 1997 no Brasil. Desde então, ampliou as suas atividades e hoje possui ativos de distribuição, geração, transmissão e comercialização de energia em 18 Estados. Reúne as distribuidoras Coelba (BA), Celpe (PE), Cosern (RN) e Elektro (SP). As quatro companhias atendem a 13,9 milhões de clientes, o que corresponde a cerca de 34 milhões de pessoas – o que faz da Neoenergia o segundo maior grupo do Brasil em número de consumidores.

Um dos vetores de crescimento no Brasil são os investimentos em transmissão. O grupo possui três empreendimentos em operação (679 km de extensão) e 10 em construção (4,7 mil km). Em energia eólica, renovável, a Neoenergia possui 17 parques eólicos em operação (516 MW de capacidade) e outros 15 estão em construção (com mais 471 MW de capacidade). Já em geração hidrelétrica, os números são: 6 usinas em operação e 1 em construção, um total de 3.000 MW dos quais apenas 10% ainda em implementação. O grupo possui ainda termelétrica a gás natural de 533 MW. Destaque também para a comercialização de energia, que em 2018 cresceu 10%, com a venda de 1,5 GW/médios, acompanhando a tendência de ampliação do mercado livre.

Sobre a Iberdrola

A Iberdrola é líder global em energia renovável, pioneira na geração de energia eólica e uma das maiores empresas de eletricidade por valor de mercado no mundo. O Grupo está presente em vários países e fornece energia para cerca de 100 milhões de pessoas, principalmente na Espanha, no Brasil (Neoenergia), no Reino Unido (ScottishPower), nos Estados Unidos (AvanGrid) e no México. Com equipe de quase 34 mil pessoas e ativos superiores a 113 bilhões de euros, registrou um faturamento de 35 bilhões de euros e um lucro líquido de 3,014 bilhões de euros em 2018.

A Iberdrola lidera a transição energética para um modelo sustentável por meio de investimentos em energias renováveis, redes inteligentes, armazenamento de energia em escala e transformação digital para oferecer os produtos e serviços mais avançados aos seus clientes. Graças ao seu compromisso com a energia limpa, é uma das empresas com as menores emissões e uma referência internacional por sua contribuição para a luta contra a mudança climática e a sustentabilidade.

One thought on “Neoenergia investirá R$ 30 bi até 2023, diz presidente da Iberdrola

Comments are closed.