Echoenergia amplia projetos eólicos no Nordeste

Investimento previsto pode chegar a 1 bilhão de reais

A Echoenergia expande sua atuação no setor eólico ao assinar novos PPAs – Power Purchase Agreement de longo prazo no mercado livre de energia. A empresa contratou 206 megawatts (MW) para seu cluster localizado no município de Serra do Mel-RN, região na qual já possui projetos de 273 MW (Echo 3, Echo 6 e Echo 7) em estágio avançado de construção. O investimento pode chegar a 1 bilhão de reais.

Com isso, são 479 MW em implantação na cidade potiguar, dedicados exclusivamente ao mercado livre. Os novos PPAs foram negociados com quatro diferentes off takers de alto nível de credibilidade. Segundo o CEO da Echoenergia, Edgard Corrochano, as novas aquisições chancelam o principal objetivo da empresa: crescimento estratégico, focado na disciplina financeira e geração de valor aos acionistas. “Com esse objetivo em mente, chegaremos a 1.5 gigawatts de capacidade instalada até o final de 2020. Já temos, obviamente, outros PPAs em negociação, mas não é só isso. Vamos ampliar nossa participação no mercado, com muito critério, via rígida responsabilidade financeira e geração de valor”.

No ciclo anterior de projetos, a companhia havia captado R$ 1.3 bi junto ao Banco do Nordeste do Brasil (BNB), atingindo o teto de limite de crédito. Assim, a empresa estuda outras opções de financiamento. “Nosso plano base é financiamento de novos projetos via mercado de capitais. Vejo os juros cada vez mais baixos no país e o mercado de capitais com muito apetite para investir em empreendimentos eólicos. Temos algumas alternativas na mesa e, obviamente, vamos com a mais competitiva”, revela Corrochano.

De forma pioneira, a empresa foi a primeira eólica brasileira a fechar PPAs no mercado livre, quando o setor ainda focava bastante no mercado regulado. Agora, a companhia inova mais uma vez ao assinar a securitização dos novos PPAs como fonte de recursos. Atualmente, a Echoenergia possui 732 MW de projetos nos estados do Rio Grande do Norte, Bahia, Ceará e Pernambuco. Com as recentes aquisições, a empresa atinge capacidade operacional de 1.2 gigawatts (GW) e se consolida entre os maiores players de energia eólica do país. A empresa investe, também, em ações sociais nas regiões em que atua, reafirmando seu compromisso com a população local e geração de novos caminhos para o futuro.